Promessa do shabbos no sheva milênio
   
 

"Tão certo como os novos shua-ólmayao e a nova terra que eu hei de criar permanecerão para sempre, assim também vocês serão para sempre o meu povo, com um nome que nunca há de desaparecer. Toda a humanidade virá para me adorar, de shabbos em shabbos (semana após semana), de uma luminar menor (lua) em luminar menor (mês após mês). Ao saírem verão os corpos mortos dos que se revoltaram contra mim, visto que os vermes que os comem nunca morrerão, o fogo que os consome nunca se apagará; serão um sinal bem claro e tremendo para todo o gênero humano.Yaoshúa-YÁOHU (Isaias corrompido) 66.22-24.

Já vimos no princípio desse estudo que existe uma relação profunda do Shábbos semanal, o shevá yam (o sétimo d-ia), com shábbos anual (o sétimo ano), em ambos a orientação é cessar o trabalho. Que o homem descance no sheva yam (o sétimo d-ia), porque o shábbos foi feito por causa do homem: "Mas o Shábbos foi feito em benefício do homem; o homem não foi feito por causa do Shábbos". Marcos 2.28a. E que a adamah (terra), descance no shevá ano (sétimo ano): "Durante seis anos semeiem e colham os frutos das vossas terras, mas deixem a adamah (terra), repousar, em pouso, durante o shevá (sétimo) ano, e permitam aos pobres do povo colher algumas plantas que ainda cresçam naturalmente. O resto que ficar seja para os animais. Isto aplicar-se-á igualmente às vinhas e aos olivais." Shuamós (Exodo) 23.10-11.

Então o que será o shevá (o sétimo), milênio se relacionando com essa ordem de shevá (o sétimo), o REPOUSO?

É porque YÁOHU UL reservou esse número shevá (7) - (sete), como totalidade, conclusão e naturalmente descanço, repouso. Por isso ficou ordenado a descançar - "cessar o trabalho" no shevá yam (sétimo d-ia), porque YÁOHU ULHIM é que criou o shevá yam (o sétimo d-ia); na ordem dos anos, ordenou que se plantasse seis anos no solo, e que no shevá (o sétimo),ano deixasse a Adamah (terra), descançar, isso em Yaoshorul, ao Seu povo (um sinal do que seria em todo Universo).

No shevá milênio, toda humanidade (adamah-terra), descançará das ações malignas, isto é, ha-satan (satanás), e os seus demônios, juntamente com os seus nomes, não estarão mais a tentar a Humanidade, e o Governo será único e exclusivo de YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHAY ( O verdadeiro Messias). Também será o último período de vida pecadora, isto é, os pecadores, nesse planeta, depois tudo, shuaolmayo e a adamah e o mar se fundirão no fogo que descerá do Alto. "E YÁOHU UL, pela mesma palavra, mandou que a Adamah (terra) e os shua-ólmayao (os cé-us), se reservem para o fogo no yam (d-ia), do juízo, quando todos os homens ímpios perecerão... Mas o Yam (d-ia), de YÁOHU UL virá inesperadamente como um ladrão. Então os shua-ólmayao desaparecerão com grande estrondo, os corpos celestes se desfarão em fogo e a adamah (terra) e tudo o que nela existe se queimará". 2 Káfos (Pedro corrompido), 3.7,10.

Então começará Novos Shuaolmayo (cé-us) e Nova Adamah (terra), tudo se tornará Novo. Porém nesse último milênio (o sétimo), todos deverão adorar YÁOHU UL, conforme está escrito: "Toda a humanidade virá para me adorar, de shábbos em shábbos (semana após semana), de uma luminar menor (lua) em luminar menor (mês após mês)". Isso será possível porque os salvos estarão reinando com hol-MEHUSHKHAY (O Verdadeiro Messias): "Vi também as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho que deram de YAOHÚSHUA, e da palavra de YÁOHU UL; estes não adoraram o monstro (a besta), nem a sua estátua (imagem), nem aceitaram a sua marca nas testas ou na mão. Voltaram de novo a viver, e durante aqueles mil anos partilharam com ha-MEHUSHKHÁY (O Verdadeiro Messias), da sua própria autoridade e do seu governo. Esta é a primeira ressurreição". Kanódgaluth (Apocalipse) 20.4-5.
Portanto, como observamos no texto haverá o Governo de hol-MEHUSHKHAY ( O Verdadeiro Messias), no milênio, após a ressurreição unicamente dos salvos , e todos os habitantes da Adamah (terra), ira adorar YÁOHU UL em YAOHÚSHUA-oléym (Jerusalém corrompido), de shábbos (sábado), em shábbos, de mês em mês.
Está escrito, assim será!