O prometido repouso para o povo de YÁOHU UL
   
 

"E embora a promessa de YÁOHU UL, de entrarmos no seu lugar de descanso, continue de pé, devemos ter muito cuidado quando alguns derem mostras de ficar para trás. Porque essa Mensagem Gloriosa foram-nos anunciadas também a nós, tal como a eles. Mas se de nada lhes serviu, é porque não creram nelas, quando a ouviram. Quanto a nós, visto que cremos, temos a certeza de entrar no repouso de YÁOHU UL. Quanto aos que não crêem, YÁOHU UL disse: "Na minha indignação obriguei-me com juramento” a não deixar que entrassem no meu repouso", embora este lugar de repouso esteja pronto desde a criação do mundo.

Sabemos isto porque as Qaotáv mencionam o shevá (sétimo), yam (d-ia), dizendo: "E repousou YÁOHU UL de todas as suas obras no shevá (sétimo) yam (d-ia)". Mas acontece que aqueles a quem foram pregadas as primeira Mensagem Gloriosa não entraram nesse repouso preparado, por causa da sua desobediência; por isso está escrito: "Não entrarão no meu repouso". Contudo, isto dá a entender que ainda haverá alguém que deverá entrar nele. E é assim que fixa outra ocasião para entrar; essa ocasião é hoje.

E isto diz YÁOHU UL, pela boca de Dáoud, muito depois: "Hoje, se ouvirem a sua voz, não endureçam os vossos corações". Porque, se esse repouso tivesse sido aquele para onde Yaohúshua conduziu o povo de Yaoshorúl, YÁOHU UL não teria falado mais tarde numa nova ocasião. Portanto é porque existe ainda um repouso para o povo de YÁOHU UL. Ora quem já entrou no descanso de YÁOHU UL, também já descansou das suas obras, tal como YÁOHU UL também das suas. Busquemos então tudo o que é necessário para entrar nesse lugar de descanso.

Procuremos que ninguém, à semelhança do povo de Yaoshorúl, caia na mesma incredulidade que eles. A palavra de YÁOHU UL é viva e eficaz. É mais penetrante do que uma espada de dois gumes, chegando à distinção da alma e do espírito, como que à junção de osso e medula. Ela é capaz de distinguir os pensamentos, as intenções do coração. Não há nada em toda a criação que esteja escondido aos olhos de YÁOHU UL; pelo contrário tudo está patente e a descoberto perante aquele a quem temos de prestar contas. Hebreus 4.1-13.

Na Palavra citada acima tem duas referencia a REPOUSO-SHÁBBOS (sábado-descanço).
A primeira citação fala da entrada NUM LUGAR DE REPOUSO (Paraiso-Jardim- Cidade Rodshua (santa): ..." embora este lugar de repouso esteja pronto desde a criação do mundo";

Na segunda citação fala de um Yam (d-ia) de Repouso, isto é, o SHÁBBOS: "E repousou YÁOHU UL de todas as suas obras no shevá (sétimo) yam (d-ia)".

Como entender essas duas colocação de LUGAR E YAM DE REPOUSO?

O Lugar de Repouso é onde o homem repousará de todas as obras praticadas em obediência a YÁOHU UL, lá não existira mais dores, morte, sofrimentos, nem lagrimas e nem noite, veja que so haverá YAM (D-ia), interminável e eternamente, onde YÁOHU UL entrou na Sua Morada "No Lugar de Repouso".

Qual é esse YAM (D-ia), que o Homem (a humanidade vencedora), gozará?
Indubitavelmente é o Shábbos semanal, o shevá Yam (o sétimo d-ia), da semana. Por que? Porque o shábbos que foi dado ao homem pertence a YÁOHU UL, o shábbos é rodshua (santo), a YÁOHU ULHIM. É o único Yam que Ele mesmo chama de "O MEU YAM DE SHÁBBOS": "Diz ao povo de Yaoshorúl que descanse no meu yam (di-a) de Shábbos, porque o Shábbos é um sinal para que se lembrem da aliança que existe entre mim e vocês para sempre".

Por outro lado na criação o único Yam (d-ia), da semana, que não se diz: " E houve uma tarde e uma manhã" foi o shábbos. Isso significa que esse Yam de Shábbos, YÁOHU UL não o encerrou com o princípio que é a manhã e o fechamento que é a tarde, o shábbos foi criado para existir de eternidade a eternidade, porque se existe um LUGAR ETERNO, também se faz necessário um YAM ETERNO, é por isso que quando YÁOHU ULHIM acaba toda a Sua criação, tanto O LUGAR DE REPOUSO E O YAM TAMBÉM DE REPOUSO FICAM ACABADOS CABALMENTE. Não é mais preciso fazê-los, proque estão prontos.

Portanto, quem quiser entrar no Lugar de Repouso, deve Repousar no Shábbos, o shevá Yam (sétimo d-ia) da semana. Na realidade esse Shábbos é um SINAL, UMA ALIANÇA E UM SÍMBOLO, que identifica os que devem entrar NAQUELE LUGAR DE REPOUSO que YÁOHU ULHIM, entrou quando acabou toda a Sua criação, o que fez:" REPOUSOU DENTRO DAQUELE LUGAR NA SUA MORADA, NO YAM DE SHÁBBOS", o qual não o encerrou, senão ficaria um yam comprimido, acabado e finito, por isso YÁOHU ULHIM fez o SHÁBBOS INFINITO que nunca se acabará. Portanto, quem não obedecer o shábbos-(cessando as suas obras semanais), não entrará NAQUELE LUGAR DE REPOUSO! É o que está escrito:
"Não entrarão no Meu repouso"!.