PRINCÍPIO DO SHABBOS (sábados) NA CRIAÇÃO -
O SHABBOS É A ÚLTIMA OBRA
   
 

“Assim foram concluídos o shuaomayao (céu) e Adamah (terra), com todo o seu exercito”.
YÁOHU ULHIM concluiu no shevá yam (sétimo di-a), a obra que fizera e no shevá yam (sétimo d-ia), descansou, depois de toda a obra que fizera. YÁOHU ULHIM abençoou o shevá yam e o tornou rodshua (santificou), pois nele descansou depois de toda a Sua obra de Criação. Essa é a historia do shuaolmayao (céu) e da adamah (terra), quando foram criados. Bereshit 2.1-4ª.

- Em hebraico a palavra shábbos (shabat hebraico moderno) vem do verbo hebraico shabat, que significa literalmente “o cessar”. Embora Shabat (ou a sua versão anglicana – “sábado”.) seja quase universalmente traduzida como “descanso” ou um “período de repouso”,  mais uma tradução literal seria “abandono”, com a implicação de “abandono de trabalho”. Assim, shábbos (shabat) é o yam (d-ia) de cessação de trabalho, ao mesmo tempo o descanso está implícito, não é necessária uma denotação da própria palavra. Por exemplo, a palavra hebraica para greve (como na paralisação do trabalho) é shevita, que vem do hebraico da mesma raiz como shabat, e tem as mesmas implicações, nomeadamente que os trabalhadores flagrantes ativamente, se absterem de trabalho, em vez de passiva.

Algumas pessoas perguntam por que seria necessário YÁOHU ULHIM O Criador Eterno “descansar” no shevá yam (sétimo d-ia) da criação. Se o significado do termo é entendido como “abandono de trabalho” em vez de “descansado”, esta é mais coerente com a perspectiva das Escrituras Sagradas de um YÁOHU ULHIM ONIPOTENTE.

Shábbos (Shabat) é a fonte para o inglês sábado (que etimologicamente vem do latim sabbatum), e para denotar neste yam da semana em várias línguas.

A palavra shábbos – referindo-se ai ano shabático na Qaotav, ou um ano que leva um período sem trabalho no local (repouso do solo no sétimo ano), principalmente no mundo acadêmico, também vem a partir desta raiz.

A primeira aparição do mandamento é, de fato, mais cedo, em Shuamós (Êxodo) 16:2 quando Mehushua (Moisés) ordena aos filhos de Yaoshorul (Israel) deixar de recolher o maná no shevá yam (sétimo d-ia), o shábbos:
“Seis yamin vos deveis ajuntá-lo, mas no shevá yam (sétimo d-ia), que é o shábbos, em que não deve haver nenhum maná”.