Introdução parte 6
   
 

”Vos adorais o que não conheceis; nós (hebreus) adoramos o que conhecemos, porque a Salvação vem dos Hebreus (jude-us)”, disse YAOHÚSHUA à mulher Samaritana - YÁOHU-khanam (Jo), 4.22.
”Por essa razão, ainda que todos os povos andem cada um em nome dos seus ídolos, nós andaremos (hebreus) - para sempre - em Shúam (Nome) de YÁOHU UL nosso YÁOHU ULHÍM”! Micha (Miquéias corrompido), 4.5.
Portanto, a salvação vem dos hebreus, porque as nações (Babilônia, Grécia, Roma, Egito, e etc.), não sabem a quem adoram, mas nós (hebreus) sabemos a quem adoramos, conforme falou YAOHÚSHUA àquela mulher samaritana; e como isso é verdadeiro hoje no nosso século; porque as nações preferem invocar os nomes dos ídolos, ou invocar os nomes impostos por outras nações, como é o caso do Brasil e as Américas e outros países, que receberam o falso nome do salvador dado pelos homens, sem origem hebraica, blasfemando o Shúam (Nome), YÁOHU UL (O Criador Eterno), que esta no Seu Filho, YAOHÚSHUA (o Verdadeiro Messias), blasfêmia essa, vinda da besta que saiu do mar agindo através do império Romano com sua religião Universal, (multidões aceitaram, hoje mais dois bilhões de adeptos), contrariando o que o Salvador deixou profetizado: “Mas a questão é esta: Quando eu, ha-BOR (Filho)  do Homem, voltar, quantas pessoas encontrarei que tenham fé (Nele)?" Lc 18: 8

A Besta recebeu o poder e autoridade do dragão (Dzeus idolo grego (lê-se: Diesel), cuja variante é Deus em português, Dio em espanhol, Dei em latim e Dieu em Frances),  conforme está em apocalipse 13:1-10:
 “E vi na minha visão um monstro (Besta), levantando-se do mar. Tinha sete cabeças e dez chifres, e em cada um destes uma coroa. Em cada cabeça estavam escritos nomes que eram insultos a YÁOHU UL. Este monstro parecia um leopardo, mas tinha as patas como os ursos e focinho de leão. E o dragão deu-lhe o seu próprio poder, cedeu-lhe o seu trono e grande autoridade. E reparei que uma das cabeças do monstro tinha uma ferida que parecia mortal; mas afinal a ferida veio a sarar! O mundo inteiro se maravilhou com esse milagre e se pôs a seguir esse monstro. Todos adoraram o dragão por ter dado ao monstro o seu poder, assim como adoraram o próprio monstro, dizendo: "Quem poderá igualar-se a ele e lutar contra ele?" E foi concedido ao monstro o poder de dizer grandes injúrias contra YÁOHU UL o Criador Eterno. E pôde assim exercer a sua influência durante quarenta e dois meses. Todo esse tempo sempre que abria a boca era para dizer coisas ofensivas contra YÁOHU UL, e para desprezar o seu (Nome) Shúam, a sua morada celestial e todos os que vivem no shua-olmayao (céu). Foi-lhe igualmente dado poder para combater contra o povo de YÁOHU UL, e para o vencer mesmo, assim como autoridade sobre os povos, raças e línguas em toda a terra. E todas as pessoas que pertencem a este mundo adoraram o monstro - essas cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro, que foi sacrificado antes da fundação do mundo. Quem for capaz de ouvir, que ouça atentamente: O povo de YÁOHU UL destinado às prisões será levado em cativeiro; os que são destinados à morte serão mortos. “Mas não desanimem, porque é agora a vossa oportunidade de demonstrar a vossa perseverança e fé”. Apocalispe 13.1-10.

“Que ninguém de forma alguma vos engane; pois isso não se dará sem que antes venha uma grande revolta contra YÁOHU UL e se revele aquele homem que encarnará em si mesmo o pecado, que será o filho da perdição. Ele se oporá e se levantará contra tudo o que fizer referência a YÁOHU UL e ao seu culto. E até pretenderá mesmo tomar o lugar de YÁOHU UL no próprio Templo de YÁOHU UL, fazendo-se passar por YÁOHU UL mesmo". 2 Tessalonicenses 2. 3,4.
Cumprindo que o nome do Cordeiro fosse apagado da Memória:
 “Mas Eu como um Cordeiro manso que é levado ao matadouro, Eu não sabia que eles tramavam planos contra Mim dizendo: “Destruamos a árvore em seu vigor, arranquemo-la da terra dos vivos, e Seu Shúam (Nome), não será mais lembrado!”Yarmi-YÁOHU  (Jeremias corrompido), 11.19 e em Salmos 41.5,9:  “Meus inimigos falam  mal de Mim: “Quando vai morrer e perecer o Seu Shúam (Nome)?... Até Meu amigo, em quem Eu confiava, que comia do Meu  pão,  levantou o calcanhar contra  MIM”.

Dessa forma, há-satan (satanás), que através dos homens fez que se implantasse outro nome no lugar do Verdadeiro Shúam (Nome) Hebraico YAOHÚSHUA. "Eu vim em nome do meu Pai YÁOHU e vós, não me aceitais. (o mundo foi feito por Ele, e o mundo não o conheceu); “Portanto, quando virem à abominação desoladora, de que o profeta Dayan-Úl falou, instalada no lugar HODSHUA (santo) - quem ler isto, que preste muita atenção”Mt.24.15
Então o grande profeta profetiza abertamente e com veemência:
 "Se outro vier em seu próprio nome (não o Nome do Altíssimo), a esse vós aceitareis (o mundo aceitou o lesvs Cristvs. (Jesus Cristo). YÁOHU-khanam (João corrompido), 1.10; 3. 19-20; 5. 43.

"Então se alguém vos disser: eis que o Messias está aqui (Cristo é grego. Porém, aquele que morreu no madeiro nunca recebeu em Vida esse título GREGO, pelo simples fato de ser HEBREU), - Ou ali não lhes deis crédito porque surgirão falsos ungidos (grego-romanos e etc.), e falsos profetas (que profetizam a favor dos falsos nomes), e farão tão grandes sinais e prodígios (nos falsos nomes), que se possível fora enganaria até os escolhidos. Eis que vos tenho dito antes de acontecer".Man-YÁOHU (Mateus corrompido)  7: 22. 23; 24: 23,25.

E confirmando isso o Salvador disse: Muitos me dirão naquele yam (dia):
“Senhor (senhor é o mesmo que baal em hebraico e kúryos em grego), não profetizamos nós em teu nome (em que nome? Se aquele que subiu do monte das oliveiras ao Shua-ólmayao (céu), com o Shúam (Nome), hebraico YAOHÚSHUA,  virá com o mesmo nome que subiu!), e em teu nome não expulsamos demônios. e em teu nome não fizemos muitos sinais?
E então lhes direi abertamente: "Nunca vos conheci!”- Por que ele não conheceu? - Porque tudo que fizeram, não foi em seu Nome YAOHÚSHUA e sim num falso nome grego-romano-aportuguesado.
 
 “Apartai-­vos de mim vós que praticais a iniquidade”.  (isto é, adoradores de  ídolos das nações grega-romanas  e dos povos bárbaros num enxerto maligno de idolatrias pagãs de todos os povos e de todas as épocas, e continuando nas suas aberrações, introduziram tais nomes nas bíblias gregas (LXX), latina (Vulgata), e nas suas traduções para todas as línguas da terra).