A TORAH (a Lei), HATAN (o pecado) e Hodayao (a Graça)!


YAOHÚSHUA vai à celebração dos tabernáculos.

Depois disto, YAOHÚSHUA ficou na Galileia, andando de terra em terra, pois queria conservar-se fora da YAOHÚ-dah, onde os dirigentes YAOHÚ-dim tramavam a sua morte. Em breve, porém, vieram às celebrações do Khag Sukkós (Tabernáculos), e os irmãos de YAOHÚSHUA disseram-lhe que fosse para a YAOHÚ-dah: "Vai para onde os teus discípulos possam ver os teus milagres. Não podes tornar-te conhecido se te esconderes assim. Já que fazes estas coisas, mostra-te ao mundo!" Pois os seus irmãos não acreditavam nele.
YAOHÚSHUA respondeu: "Ainda não chegou o meu tempo. Mas o vosso tempo sempre está presente.
O mundo (O Cosmos), não vos pode querer mal; mas a mim aborrece-me, porque o acuso do pecado e do mal. YÁOHU-khánam (Jo.)7.1-6.
"Pois na verdade o nosso combate não é contra seres humanos, mas sim contra forças malignas, contra ditaduras que atuam nas trevas, contra verdadeiros exércitos de espíritos do mal que dominam nas esferas do mundo sobrenatural". Ef. 6.12.

Mortos para o pecado (hatan), vivos em hol-MEHUSHKHÁY (a Hodayao (a graça)!


Pois bem, continuaremos a pecar para que YÁOHU UL vá nos mostrando sempre mais bondade e perdão? De modo nenhum! Como continuaríamos a pecar se para com o pecado é como se estivéssemos mortos! Porque quando nos tornamos participantes da vida de YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY, e fomos batizados para sermos um com ele, através da sua morte, foi anulado o poder da nossa natureza pecadora. A nossa natureza pecadora foi enterrada com ha-MEHUSHKHÁY, pelo batismo, e quando YÁOHU UL e YÁOHU ABí, com o seu ulhimico poder, o trouxe de novo à vida, também nos foi concedida uma vida nova para desfrutar. Porque foi como se tivéssemos morrido com ele; e agora partilhamos com ele da sua nova vida, na ressurreição. A nossa velha natureza foi pregada com ele no madeiro; tudo aquilo que em nós servia de alimento ao pecado foi como que destruído, de forma que não mais fiquemos sujeitos ao domínio do pecado. Porque quando morremos para o pecado ficamos libertos do seu poder sobre nós.  Portanto, sendo que já morremos com ha-MEHUSHKHÁY, sabemos por conseqüência que partilhamos da sua vida. Hol-MEHUSHKHÁY ressuscitou dos mortos e viverá eternamente. A morte não mais tem poder sobre ele. Ele morreu, uma vez por todas, para acabar com o poder do pecado, e eis que vive agora numa comunhão contínua com YÁOHU UL, seu YÁOHU ABí. Por isso considerem a vossa velha natureza como que morta, sem reação perante o pecado, e em contrapartida viva para YÁOHU UL, por meio de YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY nosso Molkhiúl.  Portanto não deixem que o pecado tenha mais algum domínio sobre o vosso corpo corruptível; não lhe cedam aos desejos que sejam fruto de hatan (pecado).  Que nada do vosso corpo seja usado como instrumento do pecado, mas dêem-se a YÁOHU UL como alguém que vive de novo saindo da morte, a fim de que o vosso ser se torne um instrumento para fazer o que é justo para a glória de YÁOHU UL.  O pecado não terá mais domínio sobre vocês, porque já não estão sujeitos à lei que vos prende ao pecado. Em vez disso, foram libertados pela graça de YÁOHU UL.


Escravos da retidão


Porque a graça de YÁOHU UL nos libertou da lei, quer isso dizer que agora vamos continuar a pecar? Com certeza que não!
Não está a ver que depende de vocês o escolherem aquele que vos há de dominar? Pode escolher o pecado, com a conseqüente morte; ou a obediência a YÁOHU UL, com a respectiva aprovação. Graças a YÁOHU UL porque, tendo sido escravos do pecado, agora obedeceu de todo o coração ao ensinamento que YÁOHU UL vos entregou, e encontram-se livres do pecado, mas sujeitos a um novo domínio - o da retidão.  Eu falo assim desta maneira humana porque é fácil de entender. Repito que, assim como antes eram escravos de toda a sujidade e de toda a corrupção para pecarem, agora devem tornar-se escravos, sim, mas de tudo o que é justo e santo. No tempo em que eram escravos do pecado, a obediência a YÁOHU UL não era a vossa preocupação. E qual era o resultado disso, de que agora até têm vergonha? O fim dessas coisas conduz à perdição eterna.  Mas eis que agora, libertados do poder do pecado, são escravos de YÁOHU UL, tendo como fruto a rodshuayao (santidade) e como objetivo último a vida eterna.  Porque o salário que Hatan (o pecado),  paga é a morte, mas de YÁOHU UL recebemos a dádiva gratuita da vida eterna, por meio de YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY nosso Molkhiúl (Rei).   Romanos 6.1-14.



Libertados da lei

Vocês, que conhecem a Torah (lei) , não sabem que a lei se aplica a uma pessoa somente enquanto ela está viva? Depois de morta, a lei não tem mais domínio sobre ela.  Vou explicar com uma imagem: Quando uma mulher se casa, está ligada ao marido enquanto ele viver. Mas se o marido morrer fica desligada de qualquer responsabilidade legal perante as leis referentes ao casamento. Está então livre para casar novamente, se assim o entender. O que lhe não seria lícito durante a vida do marido - em que seria adúltera se pertencesse a outro homem - tem todo o direito de fazê-lo depois de ele morrer. O vosso marido era a lei de Mehushúa; mas vocês morreram com ha-MEHUSHKHÁY no poste; e está como que desfeito o vosso casamento com a lei, a qual não mais tem força sobre as vossas vidas. E agora estão ligados a hol-MEHUSHKHÁY que ressuscitou para que possam dar frutos para YÁOHU UL. Quando a vossa velha natureza ainda estava ativa, os impulsos pecaminosos que a lei denuncia atuavam na vossa vida, tendo como resultado o fruto da morte. Agora pois não temos mais que cuidar da lei, porque morremos para aquilo de que éramos escravos, e agora podemos servir YÁOHU UL, não segundo a velha maneira, quer dizer, obedecendo a um conjunto de regulamentos, mas pelo RÚKHA duma maneira inteiramente nova.


Nota: Quando Shual se refere a Torah (lei), ele esta aplicando o termo ensinamento, instrução, que estão contidos nos cinco Livros de Mehushua (Moises), tudo bem! Bom, a partir desse entendimento, observamos a aplicação relacionada ao procedimento que o povo deveria fazer para expiar os seus pecados, seguindo a obediência de um “conjunto de regulamentos” que se atrelava aos pecados, isto é, ao que pecasse deveria recorrer aos oferecimentos de ofertas, por sacrifícios de animais, para alcançar o perdão dos seus pecados.
“A esse ritual, Shual chamou está preso (ligado) ao pecado, porém os que crêem em YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHAY (O Verdadeiro Messias), “Como o Cordeiro de YÁOHU UL que tira os pecados da humanidade”,” já não estão sujeitos à lei que os prende ao pecado”. Agora obedecendo ao RÚKHA hol-HODSHUA , que nos convence dos pecados, do juízo e da justiça, e por fim, nos guiará em toda Verdade. Resumindo, seremos ensinados pelo próprio RÚKHA hol-HODSHUA (o Espírito-YÁOHU).

Shual considerou, então, essa orientação absoleta, e que nos prendia ao pecado, o 'conjunto de regulamentos', os quais serviram para expiação dos pecados do povo; que agora, Hodayao (Graças), a YAOHÚSHUA não se faz necessário, porque Ele, YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHAY, fez a expiação dos pecados pelo Seu povo e por toda Humanidade.

 



A luta com Hatan (pecado)

Pois bem, mas será que essa lei, que afinal foi dada por YÁOHU UL, é má? Com certeza que não!
Mas foi pela lei que eu conheci o pecado.
Eu nunca teria sabido o que é a cobiça se a lei não dissesse: "Não cobiçarás".
Mas o pecado usou esta lei para que me desse conta de que existem em mim toda a espécie de desejos ilícitos!
Se não houvesse lei o pecado não existiria. (Hatan - O Pecado), só atua a onde existe uma proibição. Aquilo que o Gavoha proibiu, ele se levanta contra, convencendo-nos a pecar, foi assim com Adam e Khavyao (Eva), no princípio).
Por essa razão se eu vivo sem lei, não há conflito na minha consciência. (Isto é, se não existe lei, não há transgressão).
Mas desde o momento em que eu aprendi a verdade, tomo consciência de que quebrei a lei e de que sou um transgressor (pecador), condenado a morrer.
Portanto a lei, ainda que sendo feita para me mostrar o caminho da vida, resultou num meio de me aplicar a pena de morte. O pecado (Hatan) enganou-me: através das boas leis de YÁOHU UL, fez com que eu fosse culpado de morte.
Porque pela sua hodayao (graça) é que somos salvos, por meio da fé que temos em hol-MEHUSHKHÁY. Portanto a salvação não é algo que se possa adquirir pelos nossos próprios meios: é uma dádiva de YÁOHU UL Não é uma recompensa pelas nossas boas obras. Ninguém pode reclamar mérito algum nisso. Somos a obra-prima de YÁOHU UL. Ele nos criou de novo em hol-MEHUSHKHÁY YAOHÚSHUA, para que possamos realizar todas as boas obras que YÁOHU UL planeou para nós. Efesios  2.8-10.
 Contudo a lei, em si mesma, continua justa, hodshua (santa) e boa.
Mas como pode a lei ser boa e causar a minha morte?
É porque não é propriamente ela, mas sim o pecado (Hatan), maligno como é, que por meio de algo que é bom serviu-se para me condenar.
Através de leis justas o pecado revela-se extremamente perverso.
A lei pois é RUKHUAO (espiritual), mas o mal está em mim; eu sou vendido para a escravidão pelo pecado que é o meu dono.
(Mas YÁOHU UL, que é riquíssimo em misericórdia, em conseqüência do seu sublime amor por nós, e estando nós ainda mortos pelos nossos pecados, nos deu uma vida nova, ao ressuscitar hol-MEHUSHKHÁY da morte. Foi somente pela graça de YÁOHU UL que fomos salvos. Nós ressuscitamos com ha-MEHUSHKHÁY, e foi-nos concedido por isso o direito de acesso RUKHUAO (espiritual), pela fé, ao mundo Ulhímico  em que hol-MEHUSHKHÁY habita) Efesios2.
Não me compreendo: porque na realidade o que faço, sei que não é bom. E aquilo que eu reconheço ser reto, não consigo fazer. E venho a fazer até aquilo que, no íntimo, repudio.
E se a minha consciência reconhece como errado isso que faço, ela própria me é testemunha de que são boas as leis de YÁOHU UL as quais desobedeço.
Mas não posso evitá-lo, porque já não sou eu mesmo quem faz isso; é Hatan (o pecado) dentro de mim.
Eu reconheço que em mim, ou seja, na minha natureza pecaminosa não existe nada de bom.
Quero fazer o que é reto, mas não posso.
Quando quero fazer o bem, não o faço; e o mal que não quero, venho sempre a fazê-lo.
Portanto, se estou afinal a fazer o que não quero, é simples de ver onde está a causa: Hatan (o pecado) que me domina.
 É portanto como que uma força natural em mim, que quando quero fazer o que é justo, faço inevitavelmente o que é errado.
A minha consciência faz-me querer de todo o meu coração praticar a vontade de YÁOHU UL;
mas existe outra coisa no fundo de mim mesmo (uma força estranha) que está em guerra com o meu querer e que me torna escravo do pecado que ainda está em mim.
Que miserável eu sou! Quem me libertará desta vida dominada pelo pecado?
 Pois bem: Hodayao (graças) a YÁOHU UL porque isso foi justamente feito por YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY nosso Molkhiúl! Portanto, eu mesmo com a minha mente quero obedecer à lei de YÁOHU UL, mas por causa da minha natureza pecaminosa sou escravo ao pecado. Romanos 7.1-25.

   (“Por fim, meus irmãos, deixem-me dizer-vos mais uma coisa. Concentrem os vossos pensamentos em tudo que é verdadeiro, em tudo o que é honesto, em tudo o que é justo, em tudo o que é puro, em tudo o que é amável e admirável; em tudo aquilo em que há virtude e em que há verdadeiro valor”). Filipenses 4.8.

 

Agora se faz necessário entender os termos TORAH (LEI) e Hatan.


Hatan é um adjetivo que expressa à essência daquele que não se firmou na Verdade, há-Satan, conhecido por Satanás. Conforme se expressa Shaul, dizendo que esse ser espiritual entrou no mundo, pela permissão de um único homem, Adam: “Eis porque, como por meio de um só homem o Hatan (o Pecado), entrou no mundo (na humanidade), e por Hatan, o Sheol (a morte), e assim a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”. “O pecado de um só homem, Adám, fez com que a morte dominasse toda a natureza humana”,... Rom.5.12,17.
Por isso que todos nós descendentes de Adam herdamos incondicionalmente a essência de Hatan (Pecado), e por isso somos escravos de Hatan (do Pecado), somos pecadores, por fazermos exclusivamente as obras de Hatan, porque ele em nós, isto é, na nossa carne nos obriga a realizar os seus desejos, e como recompensa, todos recebem como salário, a morte.

 

 

A TORAH (LEI) e a HODAYAO (a Graça)


Devemos compreender o conceito bíblico de Torah.

Observando as versões bíblicas em português, vamos perceber que a palavra Torah, foi traduzida por "Lei". No entanto, analisando o hebraico original em que a Tanakh (Todas as Escrituras Sagradas), foi escrita, percebemos que esta tradução não é somente pobre, como também não representa o maior significado da palavra no original.
A palavra "lei" carrega um sentido negativo que transmite a idéia de legalismo, peso e jugo. O mesmo pode-se dizer da tradução correspondente da maioria das versões inglesas: "law". E uma das influenciadoras destas traduções equivocadas é a Vulgata Latina de Jerônimo, em que a palavra Torah é traduzida erradamente por "lex" (Lei).
E no grego nomos.
A palavra Torah (Strong's number 8451) deriva da palavra hebraica Yarah, que quer dizer ensinar, instruir, apontar para o alvo, estabelecer uma fundação.
Assim, podemos afirmar que a palavra Torah fala da INSTRUÇÃO e ENSINO de YÁOHU ULHIM ao Seu povo, que deve ser recebida e praticada por cada um de nós DEPOIS que somos salvos.

O segundo texto do livro de Hebreus que gostaria de analisar é Heb. 8.6. Consultando este versículo no original grego, vemos o aparecimento do verbo nomotheteô (Strong's number 3549), composta por sua vez de duas palavras: nomos=Torah e tithemi= colocar, por.

Esta palavra aparece somente duas vezes na B'rit Hadasha (Novo Testamento):
Em Hebreus 7.11 esta palavra é traduzida por "receber a Torah". Do mesmo modo, o substantivo correspondente "nomothetês" é usado em YÁOHU-caf (Tg) 4.12 para se referir a YÁOHU ULHIM como "doador da Torah".
Assim, a tradução correta de Hb 8.6 do original grego seria:
 “Mas agora (YAOHÚSHUA) obteve um ministério superior ao deles (aos cohanim (sacerdotes), segundo a ordem de Levi), também porque é mediador de uma aliança superior. POIS ESTA ALIANÇA FOI DADA COMO TORAH, com base em superiores promessas”. Hebreus 8.6
Assim, somos salvos pela graça, por meio da fé em YAOHÚSHUA Hol-MEHUSHKHAY, mas DEPOIS que somos salvos, devemos crescer no conhecimento e prática da Torah (Instrução, Ensino) de YÁOHU ULHIM para as nossas vidas.

De Tzayan (Sião) sairá a Torah, e de YÁOHUSHUA-OLÉYM a Palavra de YÁOHU ULHIM” Yaoshúa-YÁOHU 2.3.(Isaías).

A graça nos liberta para obedecermos aos ensinamentos contidos na Torah (Mehushua), nos salmos e profetas.
'Pai Abruhám', gritou, 'tem piedade de mim! Manda Úlozor vir ter comigo nem que seja para molhar a ponta do dedo em água e refrescar-me a língua, pois estou atormentado nestas chamas! 'Filho,' respondeu-lhe Abruhám, 'lembra-te de que durante a tua vida tiveste tudo quanto querias, enquanto que Úlozor nada teve. Ele está aqui a ser consolado e tu estás em tormentos. Além disso, há um grande abismo que nos separa e que ninguém pode transpor.
' Ó pai Abruhám, manda-o a casa de meu pai,' retorquiu o rico, 'pois tenho cinco irmãos e é preciso avisá-los para que não venham para este lugar de sofrimentos quando morrerem'.
Mas Abruhám declarou-lhe: 'Têm as Qaotáv de Mehushúa (A Torah), e dos profetas. Ouçam os seus avisos. Não, pai Abruhám. Se alguém de entre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão.'
'Se eles não ouvem Mehushúa (A Torah) e os profetas (Os seus Escritos), não ouvirão nem mesmo alguém que se tenha levantado de entre os mortos.'" Lucas 16.24-31.


YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHAY nos orienta ao cumprimento da Torah (lei)

“Não julguem erradamente a razão da minha vinda. Não vim para acabar com a TORAH (as leis) de Mehushúa ou com os avisos dos profetas. Vim antes para cumpri-los e realizar. Digo-vos que nem uma letra ou acento das Qaotáv desaparecerá até que o céu e a terra acabem. Portanto, se alguém quebrar o menor mandamento que seja, e ensinar a outros a fazerem o mesmo, esse será indigno do reino dos shua-ólmayao. Mas quem obedecer às leis de YÁOHU UL (não de Mehushua, ele foi o porta voz de YÁOHU no monte), e as ensinar será grande no reino dos shua-ólmayao. Todavia, já vos aviso: a não ser que a vossa obediência a YÁOHU UL seja maior do que a dos professores da lei e dos Farsyím, de outra forma não poderão entrar no reino dos shua-ólmayao!” Man-YÁOHU (Mt) 5.17-20.
Então lhes disse: "Quando andava convosco, não se lembram de vos ter dito que tudo o que se escreveu acerca de mim, nos livros de Mehushúa (A Torah), nos escritos dos profetas e nos Tehillím (Salmos), terá de se realizar?" Então lhes abriu o entendimento para compreenderem as Qaotáv (As Escrituras Sagradas):
 "Estava escrito que hol-MEHUSHKHÁY (O Messias) deveria sofrer, morrer e ressuscitar ao terceiro dia; e que em seu (Nome) Shúam se pregaria o arrependimento e o perdão dos pecados em todo o mundo, começando por Yaohúshua-oléym. Vocês viram como esses escritos sagrados se cumpriram. Lucas 24.44-48.

"Nós, emisários (apóstolos), somos testemunhas de tudo o que ele fez em Yaoshorúl (Is-ra-el) e Yaohúshua-oléym, onde o mataram num madeiro. Mas YÁOHU UL tornou a dar-lhe a vida três dias mais tarde e mostrou-o a certas testemunhas que tinha já escolhido; não ao povo em geral, mas a nós, que comemos e bebemos com ele depois de ter ressuscitado dos mortos. Mandou-nos pregar a Mensagem Gloriosa, e dar testemunho de que YAOHÚSHUA foi mandado por YÁOHU UL para ser Juiz dos vivos e dos mortos. E todos os profetas escreveram a seu respeito, dizendo que quem nele crê terá perdoados os pecados, pelo seu (Nome) Shúam". Atos 10.39-43
.

"Ela terá um filho a quem porás o Shúam (Nome) de YAOHÚSHUA, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados."Cujo o signicado do Nome YAOHÚSHUA é: YÁOHU- (Nome do Pai), Shua, Salva!

Man-YÁOHU ( Mt), 1.21.


A continuar........................................................................................................